Compulsão por doces - Saiba como diminuir a vontade

A compulsão por doces é algo extremamente preocupante e relevante que afeta grande parte da população. Realmente é muito difícil diminuir a vontade por algo tão gostoso e prazeroso. Existe algumas dicas valiosas que podem te ajudar nesse processo.

compulsao por doces

 

    • A primeira coisa é diminuir o consumo de alimentos industrializados, pois a quantidade de açúcar oculto é imensa e quanto mais você comer, mais vontade terá.
      Nós consumimos em média 22 colheres de chá de açúcar oculto por dia.
      Maltodextrina, Dextrose, Xaropes, Frutose, Agave, Sacarose. Todos esses são açúcares.
    • Diminua o consumo de açúcar.
      O seu paladar é completamente adaptável, experimente ir diminuindo do café, do suco e etc…
    • Estimule o AZEDO e AMARGO.

Consumindo alimentos azedos e amargos diminuirá a necessidade por doces, justamente por estimular outros sentidos nas nossas papilas.

 

  • Está comprovado que consumir alimentos ricos em gorduras boas, além de promover saciedade, diminuem a vontade por doces. Ex: abacate, castanhas, oleaginosas, coco, sementes, cacau, entre outros. 
  • Evite chicletes e balas, mesmo aquelas com adoçantes, pois além de aumentar a vontade por doces, podem inflamar a microbiota intestinal.
  • Não determine uma rotina para consumir doces. Ex: depois do almoço, jantar.

 

Pois seu organismo irá se adaptar e a retirada será ainda mais difícil.

  • Evite consumir doces como uma forma de fuga, por ansiedade, tristeza ou angústia, pois além de não conseguir dosar a quantidade, a sensação de arrependimento prejudicará a sua evolução.

Como eu sempre digo, o equilíbrio é a base de tudo. Não significa que você deva excluir o consumo de doces, mas deixe para consumir quando estiver feliz e não como um motivo de fuga para seus sofrimentos e emoções.

Texto por Artur Caminha. – CRM 10801

É importante lembrar que o conteúdo deste texto não substitui o acompanhamento médico. Recomendamos sempre que busque orientação personalizada de um profissional da saúde.

Deixe uma resposta