Individualidade Biológica Princípios do Treinamento

Alguma vez que você foi realizar seu treino, você já se perguntou ou questionou seu treinador, mas afinal como você organiza meu treino e por que fazemos essa sequencia?
Para a realização de um programa de treinamento é preciso conhecer, entender e aplicar as posições científicas, que se sustentam pelo aumento de referências, consideradas essenciais para todos os que buscam uma melhora de seu rendimento atlético.

Dessa forma, os princípios do treinamento físico se tornaram uma base científica fundamental para qualquer profissional se basear na montagem de um programa. E hoje iremos conhecer o primeiro deles, o princípio da individualidade biológica.

Sobre o princípio da individualidade biológica

Ao elaborar um programa de treinos devemos entender que existe uma variabilidade entre elementos da mesma espécie que faz com que não existam pessoas iguais entre si. O ser humano é a união entre as características do genótipo (carga genética recebida) com o fenótipo (carga geral de elementos que são adicionados ao indivíduo após o nascimento) que criam o suporte de individualização humana.
O genótipo caracteriza os potenciais, a predisposição inata ou aptidão para certa atividade. Assim que definidos essas características, elas devem ser aprimoradas, com o que já consideramos parte do fenótipo ou das características possíveis de serem incorporadas ao indivíduo.

Por isso, devemos entender qual o limite que a sua genética vai permitir chegar naquela atividade que você escolheu fazer e até onde o fenótipo irá influenciar nos seus resultados. E de uma vez por todas devemos entender e nunca aceitar um programa de treinos padronizados, afinal o que pode ser ótimo para o seu colega, ou um pequeno grupo específico, pode não ser o ideal para você!

É importante lembrar que o conteúdo deste texto não substitui o acompanhamento médico. Recomendamos sempre que busque orientação personalizada de um profissional da saúde.

Deixe uma resposta